quarta-feira, 28 de junho de 2017

Amor de um poeta



Amor de um poeta
Um amor tão simples... natural...
Belo e mágico...
Como a alma da natureza...

E as cores das flores...
Tão integro doado... E assim,
Um coração de poeta decifrou,
Num canto lírico o seu sonho de amor...
Cláudio Domingos Borges


terça-feira, 27 de junho de 2017

Migalhas de amor...



Migalhas de amor...
Sinto que os seus carinhos,
seus beijos, e o seu amor,
não me aquecem, não satisfaz...

Sinto tudo muito artificial,
sem sentimentos sem emoções...
Não vejo mais brilhos no seu olhar...
O seu abraço parece ser tão vazio,
sem calor, sem afeto, sem amor...
Sinto até uma frieza,
na hora que mais preciso,
quando fizemos amor...
Sinto uma distancia, solidão...
Não ouço mais palavras de amor,
não encontro satisfação,
não vejo paz no seu coração...
só vejo migalhas no chão,
pobreza no coração,
e o fim de um sonho
de amor chegando...
Cláudio Domingos Borges

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Mensagem do amanhã



Mensagem do amanhã
Raios de sol
lindo arrebol
a encantar o coração
transbordando em emoção

É o encanto do amanhecer
mensagens a nos dizer
bom dia como vão vocês

E por um momento sentar e escutar
as boas vindas
de mais uma manhã linda
com novas esperanças no ar
e pensar
que só coisas boas irão acontecer

Agradecer numa sublime oração
a natureza o céu a Deus
por tudo que ele nos deu
por não deixar faltar o nosso pão
que nos fartará todos os dias
Prometendo viver
sempre com paz amor e harmonia

Sendo positivo amando
O amor fortalece engrandece
a mente e o coração
transmitindo luz a cada irmão
O amor é o lenitivo

Cláudio Domingos Borges

domingo, 25 de junho de 2017

A riqueza e a beleza do amor...

A riqueza e a beleza do amor...
O que é mais triste,
é ver pessoas que ainda
não compreendem,
não sentem a beleza do amor...
É triste saber que essas pessoas
não apreciam não percebem a exuberância,
as benevolências, a paz que o amor,
nos mostra e nos trás...
Cláudio Domingos Borges

sábado, 24 de junho de 2017

Coma...


Coma...
Sonho destruído,
como se uma fina lamina
cortasse o meu coração...
A frieza da despedida,
deixou-me em coma
meus sentimentos...
Senti a gélida morte,
e o frio ataúde
cobriu-me sob
um véu profundo,
numa lúgubre escuridão...
enquanto a estranha procissão,
o féretro seguia em frente,
as últimas canções,
e as flores com odores pútridos,
no meu sarcófago...
e nenhuma aragem
trazia o seu perfume,
nem podia ouvir a sua voz,
nem ver o seu olhar,
que resplandecia o brilho da vida,
muito menos o seu beijo
que poderia me ressuscitar,
fazer o meu coração bater de novo,
reviver...voltar do coma...
a esperança ainda não morreu... 
Cláudio Domingos Borges

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Alternativas para esquecer...




Alternativas para esquecer...
Entre as cores os rumores,
Ecos do coração...
O som e a música...
Uma palavra e outras,
Escritas num papel...
Um poema para desarmar a emoção... 
Deixando os pensamentos livres,
Para que busquem novas distrações,
Se derramar pelos campos floridos,
Encontrando outras primaveras
Outros verões, novos dias,
Noites de magia, luar estrelas, fantasias...
Outras ações, novos movimentos,
Novos ares onde posso me dispersar...
Outras frases outros poemas de amor...
Em algum lugar onde você não está...
Olhar e ver um céu limpo, diferente,
Invocar uma nova luz para poder esquecer...
Adormecer e sonhar lindos sonhos,
Com outros amores,
Com um grande amor que
Me libertará de você...
Cláudio Domingos Borges

quinta-feira, 22 de junho de 2017

À distância




À distância
A distância equivale tanto,
Como nuvens lá no céu,
Que não deixam o sol raiar...
A beleza se esconde,
Sem a aurora que todos os dias
A gente ia prestigiar...
Longe dos meus olhos,
Como sombras na visão,
E dor no coração...
O amor não foi o bastante
Para que a sua mente aceitasse.
Seus sentidos fossem abertos,
Para me deixar entrar.
Ficasse aqui comigo...
E como eu preciso de abrigo,
Do inusitado, de ficar calado, sonhando,
Nos seus braços como seu namorado...
Preciso tanto, fazer historias,
Levar-te na memoria, como linda imagem,
E a mais importante da minha vida...
E esculpi os meus dias
Inspirado em ti, fazer deles,
Monumentos belos de amor...
Que você volte de corpo, alma e mente...
Cláudio Domingos Borges